A diretoria da Inter de Milão foi rápida para definir o substituto do técnico Luciano Spalletti, demitido na última quinta-feira mesmo com a classificação da equipe à próxima edição da Liga dos Campeões da Europa. Nesta sexta, o clube anunciou que Antonio Conte é o substituto. O ex-treinador da seleção italiana, da Juventus e do Chelsea, de acordo com a imprensa na Itália, assinou um contrato de três temporadas com um salário de 10 milhões de euros (R$ 44,45 milhões) por ano.

"Isso marca o início de um novo capítulo da minha vida, estou animado. Eu escolhi a Inter pelo clube que é, pela seriedade e pela ambição do projeto. Quero levar a Inter para o lugar que ela merece", explicou Conte, nesta sexta-feira, em um comunicado oficial emitido pelo clube em suas redes sociais.

"Tenho certeza que Antonio Conte é um dos melhores treinadores", afirmou o presidente da Inter de Milão, o empresário chinês Steven Zhang. "Estou certo de que ele vai nos ajudar a atingir nosso objetivo: fazer deste clube um dos melhores do mundo", completou.

A Inter de Milão, que hoje é propriedade de um grupo empresarial chinês, não ganha um troféu desde a Copa da Itália de 2011. Conte, de 49 anos, estava sem trabalho desde que deixou o Chelsea em maio de 2018 - na Inglaterra, venceu uma vez o Campeonato Inglês. De 2011 a 2014, ele ganhou três edições seguidas do Campeonato Italiano pela Juventus. Antes da equipe de Turim, comandou times pequenos da Itália: Arezzo, Bari, Atalanta e Siena.

A seleção italiana apareceu para Conte em 2014. Após o vexame da eliminação na fase de grupos da Copa do Mundo no Brasil, o treinador foi chamado para o lugar de Cesare Prandelli e ficou no cargo até a queda para a Alemanha, na disputa por pênaltis, nas quartas de final da Eurocopa de 2016, realizada na França.