Após a vitória por 1 a 0 sobre o Vasco no jogo de ida da 3ª fase da Copa do Brasil, o atacante Rafael Moura foi direto ao comentar o resultado. "Tiramos força nem sei de onde", brincou o jogador, que ressaltou a luta esmeraldina. "A gente lutou, foram determinantes o ímpeto, a vontade, a cobrança. A gente soube matar na hora certa o jogo, o Fábio foi feliz de fazer um gol. Depois, a gente fechadinho lutando e se entregando ao máximo", afirmou o atacante em entrevista ao SporTV.

Apesar do momento do Vasco, que tem apresentado maus resultados e vive atraso de salários, Rafael Moura disse que isso não determina o fracasso do rival em campo. "A gente precisa respeitar o Vasco, que está pressionado, assim como nós estamos em Goiânia, por causa dos resultados no Estadual. Levamos uma vantagem, mas, em casa, temos de fazer o dobro pra conseguir a classificação", afirmou o atacante, que tem três gols na temporada, todos no Goianão.

Uma briga na arquibancada marcou o final do jogo entre Vasco e Goiás. Rafael Moura lamentou o episódio. "É uma pena as torcias brigarem. A gente está numa comoção geral pelo coronavírus, o país já vem atraessando um momento difícil políticamente. A gente precisa ter paz nos estádios. Vai passar um bom tempo sem torcida nos estádios agora e é uma pena que, com um estádio lotado, com festa bonita, termine desta maneira."

O Goiás volta a campo no domingo (15), quando enfrenta a Aparecidense, sem torcedores, por causa de determinação do governo de Goiás. A partida será às 16 horas, pela 10ª rodada do Goianão.