Jogadores do Atlético, Anápolis, Aparecidense e Goiânia emitiram notas à imprensa, nas quais reclamam do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de Goiás (Sinapego), que protocolou na Federação Goiana de Futebol (FGF) um ofício solicitando a paralisação do Campeonato Goiano - a organizada do Estadual suspendeu a competição por tempo indeterminado, mas após recomendações do Governo de Goiás e da CBF.

Nas notas, atletas das equipes alegam que não foram consultados pelo presidente do sindicato, Marçal Filho. “Não sabemos quais grupos de atletas foram consultados. O nosso não foi. Não opinamos nos termos protocolados e não temos ciência do que virá a seguir”, disseram jogadores do Camaleão, em nota.

“Somos todos trabalhadores, pais de família, precisamos do nosso emprego, mas hoje deparamos com uma situação que estamos desempregados. Agora, como faremos? Precisamos de uma explicação do senhor presidente do sindicato, pois ele falou por todos os atletas sem consultar ninguém”, repudiaram atletas do Goiânia, por meio de nota.

Em contato com a reportagem, Marçal Filho confirmou que não visitou jogadores das equipes. O presidente da Sinapego alega, que o estatuto do sindicato o permite tomar decisões. “O que quero pontuar é que não foi o Marçal que suspendeu o campeonato. A federação acatou um decreto do Governo. A minha posição é de que o Goiano fique suspenso, assim como está em boa parte dos campeonatos na Europa e em quase todo o Brasil”, disse Marçal Filho.

O presidente do sindicato informou que não vai procurar os jogadores da equipe - nas notas os atletas cobram explicações. “Não procurei todos os atletas, o estatuto me permite tomar decisão. Os caras não sabem nem o que estão falando. O que estou fazendo está correto, de acordo com o estatuto. Não vou dar explicação nenhuma (para eles)”, frisou Marçal Filho, que alega ter sido convidado pelo Goiás para participar de uma reunião e diz que entrou em contato com jogadores dos clubes do interior, mas não quis revelar os nomes das equipes.

Confira as notas divulgadas pelas equipes
Comunicado - Atletas Profissionais do Atlético Clube Goianiense

Os atletas profissionais do Atlético Clube Goianiense informam que não foram procurados pelo Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de Goiás (SINAPEGO), que solicitou a paralisação do Campeonato Goiano 2020 junto a Federação Goiana de Futebol.

Defendemos que o diálogo igualitário é a melhor forma para lidar com decisões que podem interferir na vida de centenas de atletas que dependem do futebol para sobreviver. O melhor caminho seria uma conversa franca, que expusesse todos os lados para se chegar ao bem comum.

Nos solidarizamos com os atletas de clubes do Campeonato Goiano que podem ter seus contratos reincididos devido ao cancelamento das duas últimas rodadas do estadual. Por fim, torcemos para que este período passe o mais rápido possível, que vidas sejam salvas, que nós atletas possamos voltar a campo e que o futebol retorne para dar alegria aos torcedores do Brasil e do mundo.

Nota oficial dos atletas do Goiânia Esporte  Clube 
Todos os atletas do Goiânia Esporte Clube, repudiam a atitude do Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de Goiás presidido por Genivaldo Chaveiro Marçal Filho, que usando da sua autonomia e autoridade, protocolou um pedido de cancelamento da competição, “Campeonato Goiano de Futebol”, junto à Federação Goiana de Futebol, em nome dos  jogadores. Contrariando a nossa opinião. 

Sequer conhecemos o senhor presidente e nunca fomos consultados, nem nos piores momentos que vivemos no clube que foi público, recebemos uma visita do sindicato.

Entendemos que o momento é de preocupação geral mediante a pandemia do covid-19, e somos seres humanos acima de tudo. Sensibilizamos sim com toda essa situação em que o mundo está vivendo. O Governador do Estado, que é médico e autoridade máxima, foi a público e disse que as medidas tomadas pela federação neste momento não causariam prejuízos à saúde de ninguém.

Somos todos trabalhadores, pais de família, precisamos do nosso emprego, mas hoje deparamos com uma situação que estamos desempregados. Agora, como faremos? Precisamos de uma explicação do senhor presidente do sindicato, pois ele falou por todos os atletas sem consultar ninguém. 

Ele falou pelos atletas do Goiânia Esporte Clube sem visitar o nosso clube e falar com nenhum jogador. Disse por vários pais de família sem conhecer ninguém. E agora senhor Marçal, o senhor vai pagar nossos salários? Vai alimentar nossas famílias? Se ficarmos doentes o senhor vai  pagar os médicos?

Queremos uma resposta do senhor, pois já que usou sua autoridade para tirar nossos empregos, queremos que use a mesma autoridade para colocar comida nos nossos lares. Fale pelo clube que o senhor frequenta, porque os jogadores do Goiânia Esporte Clube não te conhecem.

Aparecidense: Nota à Imprensa 
Nós, Atletas Profissionais da Associação Atlética Aparecidense, através desta, viemos à público nos posicionar frente ao pedido de Paralisação do Campeonato Goiano 2020 protocolado pelo Presidente do SINAPEGO junto à Federação Goiana de Futebol. 

“Reconhecemos a gravidade dessa crise do CORONAVÍRUS no Brasil e no Mundo e assim como toda a população estamos muito apreensivos com o desenrolar dela, afinal de contas, precisamos da nossa plena saúde para atuar, também estamos expostos e temos nossas famílias. Numa situação grave como essa, decisões difíceis precisam ser tomadas e o mais certo à se fazer é ouvir todos os envolvidos, uma vez que vidas humanas estão em jogo.

Queremos RESSALTAR que nos contrariou o fato do SINAPEGO protocolar um Pedido de Paralisação do Campeonato  junto à FGF sem sequer termos sido ouvidos. Não sabemos quais grupos de atletas foram consultados. O nosso não foi. Não opinamos nos termos protocolados e não temos ciência do que virá a seguir.

Sabemos que as decisões muitas vezes não agradam a todos, mas num momento crítico como esse TODOS os 12 grupos de atletas das equipes que disputam o Campeonato Goiano deveriam ter sido consultados para que se chegasse ao mínimo de um consenso. Era o ideal a ser feito antes que qualquer decisão fosse tomada, pois afetará a vida de todos os atletas, principalmente daqueles que ficarão desempregados (a maioria). 

Os impactos estão sendo sentidos principalmente pelos Atletas que já estão tendo seus contratos rescindidos e ficarão sem nenhuma perspectiva para o prosseguimento das suas carreiras. A maioria de nós se encaixa nesse quadro. Grande parte dos Atletas da Aparecidense não conhece o Presidente do Sindicato, que por sua vez perdeu uma chance de ouro para se afirmar como representante da categoria e de ser o grande mediador nesse momento tão difícil que vivemos. 

Veio à público e todos tomaram conhecimento que o Presidente do Sinapego se reuniu com os jogadores de um único Clube. Com todo o direito, nossos colegas tiveram a oportunidade de se posicionar expondo a visão deles. Nós aqui da Aparecidense sequer fomos procurados antes que o Sinapego decidisse por todos e perdeu-se a oportunidade de construirmos todos juntos um documento que expressasse os sentimentos, anseios e preocupações dos Atletas do Estado de Goiás.

Esperamos enfim que todos os Atletas que precisarem de ajuda (e poderão ser muitos), possam receber o apoio necessário e que o Brasil e o Mundo se livre do Coronavírus.”

Atletas Profissionais da Associação Atlética Aparecidense, Aparecida de Goiânia 19/03/2020.

Nota dos jogadores do Anápolis
Nós, Profissionais do Anápolis Futebol Clube, viemos através desta, nos posicionar frente ao pedido de Paralisação do Campeonato Goiano 2020, conforme protocolado pelo Presidente do SINAPEGO, junto à Federação Goiana de Futebol, que:
 
Reconhecemos a gravidade dessa crise do CORONAVÍRUS no Brasil e no Mundo e assim como toda a população, estamos muito apreensivos com o seu desenrolar, afinal precisamos da nossa plena saúde para atuar no Campeonato, visando cuidado conosco e com nossos colegas de trabalho e também em cuidado especial com o nosso bem maior que são nossas Famílias
 
Sabemos que é uma situação grave e que decisões difíceis precisam ser tomadas e que o mais certo a se fazer é ouvir todos os envolvidos, por se tratar de um Campeonato envolvendo 12 times. 
 
Queremos RESSALTAR que nos contrariou o fato do SINAPEGO protocolar um pedido de Paralisação do Campeonato junto à FGF, sem sequer termos sido convidados a sermos ouvidos. Não sabemos quais grupos de atletas foram consultados. O nosso não foi. Não opinamos nos termos protocolados e não temos ciência do que virá a seguir, reconhecemos que decisões muitas vezes não agradam à todos, mas queríamos ter participado, ouvir e sermos ouvidos para que somente assim chegássemos à conclusão do consenso. 
 
Era o ideal a ser feito, pois afetou a vida de todos os atletas, principalmente daqueles que ficaram desempregados, os impactos estão sendo sentidos principalmente pelos Atletas que ficaram sem nenhuma perspectiva para o prosseguimento das suas carreiras. A maioria de nós se encaixa nesse quadro.
 
Grande parte dos Atletas do Anápolis Futebol Clube sequer conhece o Presidente do Sindicato, que por sua vez perdeu uma chance de ouro para se afirmar como representante da categoria e de ser o grande mediador nesse momento tão difícil que vivemos, preferindo ouvir um único time que a SINAPEGO decidiu sendo todos, perdendo grande a oportunidade de construirmos todos juntos um documento que expressasse os sentimentos, anseios e preocupações dos Atletas do Estado de Goiás.
 
Esperamos enfim que todos os Atletas que precisarem de ajuda, possam receber o apoio necessário e que o Brasil e o Mundo se livre dessa pandemia.