A partida deste sábado (23) entre Goiás e Paysandu, às 16h30, no Serra Dourada, será marcada por reencontros. Será mais uma reestreia do técnico Hélio dos Anjos pelo clube esmeraldino. O torcedor, que tem sofrido à distância, poderá voltar ao estádio. Mas o que o alviverde mais deseja é encontrar novamente a vitória.

Sem vencer há sete jogos na Série B, o Goiás vive seca de quase dois meses. Para interromper a sina, o time esmeraldino trouxe Hélio dos Anjos. O treinador mudou o esquema tático para uma formação com três zagueiros. Mexeu na equipe e fez o que pôde para mudar o astral do elenco.

O técnico esmeraldino explicou que vê em jogadores como Everton Sena e Alex Alves a polivalência para não tornar a estrutura tão estática. Hélio dos Anjos lembrou que Everton Sena já atuou como volante e lateral, assim como Alex Alves, que também já foi escalado como lateral esquerdo.

Como a mudança é radical com relação à forma de jogar apresentada anteriormente na Série B, Hélio dos Anjos admite que a falta de costume com o sistema pode pesar no início. Por outro lado, o treinador elogiou a capacidade de absorção da ideia de jogo que o elenco demonstrou.

“Sei que não é de uma hora para outra, mas a assimilação, a vontade e dedicação dos jogadores foram pontos bem legais durante a semana”, frisou.

Como o campeonato já se desenha para a reta final, o Goiás não pode mais adiar uma reação na competição. Com 25 pontos, o time esmeraldino abre a zona da degola.

“Precisamos de resultado e de equilíbrio um pouco rápido dentro da equipe. Esse jogo (contra o Paysandu) é decisivo. Contra Boa (Esporte) e ABC, também serão partidas decisivas”, alertou, sobre a busca de solidez defensiva ao time.

Com pouco menos de uma semana de trabalho, Hélio dos Anjos pontuou os principais problemas da equipe ao longo da Série B e espera começar a revertê-los.

“Se você não fizer prevalecer o mando de campo em uma competição de pontos corridos, terá problemas. Sofrer 33 gols em 24 jogos é sinal de problema. Um baixo rendimento ofensivo também. Apresentamos dificuldades ao longo da competição”, disse.

Com a mudança de esquema tático, os zagueiros Everton Sena e Fábio Sanches ganharam espaço. O lateral direito Tony revezou a titularidade com o boliviano Saavedra ao longo da semana, mas ganhou a preferência do treinador.

Quem também recebeu elogios e uma vaga de titular foi o atacante Aylon. No meio de campo, existe uma dúvida sobre a titularidade de Victor Bolt ou Léo Sena. O prata da casa deve levar a melhor.

“Vamos procurar anular os pontos fortes do Goiás e tentar aproveitar o momento de instabilidade que o adversário ainda deve apresentar”, salientou o técnico do Paysandu, Marquinhos Santos, ex-Coritiba. O treinador mostrou respeito ao Goiás, mas vê o jogo como confronto direto. O Papão é o 14º colocado, com 30 pontos.

GOIÁS
Marcelo Rangel; Everton Sena, Fábio Sanches e Alex Alves; Tony, Pedro Bambu, Léo Sena, Tiago Luís e Carlinhos; Carlos Eduardo e Aylon. Técnico: Hélio dos Anjos

PAYSANDU
Emerson; Ayrton, Perema, Douglas Mendes e Guilherme Santos; Renato Augusto, Nando Carandina, Jhonnatan e Diogo Oliveira; Bergson e Marcão.
Técnico: Marquinhos Santos.

Local: Serra Dourada. Horário: 16h30. Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR). Assistentes: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR) e Rafael Trombeta (PR). Ingressos: R$ 10 (arquibancada) e R$ 20 (cadeiras) Promoção: o torcedor que apresentar, no ato da compra, um bilhete da Timemania, tendo apostado no Goiás como time do coração, tem direito à meia-entrada.