A rodada final da Série A do Campeonato Brasileiro, neste domingo (8), definiu o Cruzeiro como o último rebaixado à Série B em 2020. Desta forma, o mapa do futebol brasileiro está desenhado com mudanças importantes. O futebol mineiro volta a ter apenas um representante na elite após 14 anos. Por outro lado, o futebol goiano volta a contar com dois representantes na 1ª Divisão após dez anos de espera.

A Série A de 2019 começou com um grupo de cinco clubes que nunca tinham sido rebaixados na competição nacional: Flamengo, São Paulo, Cruzeiro, Santos e Chapecoense. Dois nomes foram riscados desta lista ao fim da temporada com as quedas da Chape e da Raposa.

O rebaixamento da Chapecoense deixa o futebol de Santa Catarina sem representantes na elite do futebol brasileiro, o que não ocorria desde 2001. Os catarinenses chegaram a ter quatro clubes na Série A em 2015 - Avaí, Chapecoense, Figueirense e Joinville. A federação local aponta alguns fatores para essa queda, como planejamento financeiro inadequado e até mesmo um infortúnio. Para os dirigentes, será natural também o retorno de um clube catarinense para a Série A de 2021, já que Santa Catarina contará com Avaí, Chapecoense e Figueirense como candidatos ao acesso.

Se os catarinenses lamentam, os goianos comemoram. O Atlético-GO conquistou acesso à Série A ao terminar a 2ª Divisão na 4ª colocação e subir ao lado de Bragantino, Coritiba e Sport. O Goiás fez boa campanha, se manteve na elite e ainda voltou à Copa Sul-Americana. A última vez que clássicos goianos foram disputados na Série A foi em 2010. Goiás e Atlético-GO se enfrentaram em duas partidas com uma vitória para cada lado com o mesmo placar: 3 a 1.

Para o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta, o futebol goiano ter dois representantes na elite é fato relevante. “É muito bom, pois são apenas outros cinco estados que possuem mais de um representante na Série A. É importante para o ranking futuro”, frisou André Pitta. O futebol goiano ocupa a 9ª colocação no ranking nacional das federações organizado pela CBF.

A nota negativa para o futebol goiano é a ausência de um representante na Série B, já que o Vila Nova foi rebaixado e disputará a Série C. Além do trio, o futebol goiano ainda terá Goiânia, Goianésia e Crac no Campeonato Brasileiro, estes três clubes na Série D.

Ao todo serão 128 clubes em campo por quatro divisões diferentes. O futebol paulista segue sendo o de maior representatividade: são 15 clubes espalhados por séries A, B, C e D, sendo que um terço disputará a elite.

Confira abaixo o mapa do Campeonato Brasileiro em todas as séries: