Depois do empate sem gols com o Boca Juniors (ARG) na última quarta-feira (6), em Buenos Aires, pelas semifinais da Copa Libertadores, o Santos se sentiu injustiçado após o suposto pênalti em Marinho não assinalado, o que, no entanto, não é o pior dos problemas. Com novo presidente, o clube se vê desamparado pela Conmebol, com quem tem relacionamento extremamente restrito. Uma das op...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários