Atletas de alto rendimento não estão imunes ao novo coronavírus, que já causou 57 mortes no Brasil até o fechamento desta edição. Pelo mundo, esportistas de futebol, basquete, vôlei, beisebol, tênis, ciclismo e natação testaram positivo e alguns sofreram com sintomas da doença, comprovando que quem tem “histórico de atleta” pode contrair o vírus com facilidade e ter complicações por causa da Covid-19.

A explicação é simples: o risco de infecção é igual para todo mundo, de qualquer idade, que se exponha de maneira que fique mais propenso a contrair o vírus. “Alguns fatores de risco são a idade, desnutrição, doenças prévias, diabetes, hipertensão etc. Atletas não costumam ter a maioria desses problemas, mas podem ter contato com o vírus e, quando isso ocorre, podem se infectar”, explicou Wladimir Queiroz, médico do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, e professor da UNILUS.

Em um pronunciamento na terça-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a Covid-19, à qual se referiu como “gripezinha” ou “resfriadinho”, não é uma ameaça à sua saúde por causa do seu “histórico de atleta”.

O infectologista do Emílio Ribas explica que esse fator não minimiza a chance de um ex-atleta contrair a doença. “Ter sido um atleta em determinada fase da vida significa muito pouco. Quantos ex-atletas são idosos e contraíram doenças ao longo dos anos? Pode até ter tido a saúde maravilhosa quando era jovem, mas não deixa de correr riscos. A imunidade não é a mesma de um atleta regular, na verdade ela diminui cada vez que uma pessoa fica mais velha. O passado significa pouco no presente quando estamos falando de doenças”, pontuou Wladimir Queiroz.

O infectologista Boaventura Braz salienta que as chances de infecção do coronavírus em atletas de alto rendimento existem porque não há sistemas imunes ao vírus. A contaminação pode ocorrer conforme contato com o vírus.

“É igual para todas as pessoas. É um processo individualizado, que no Brasil já registrou casos de contaminação comunitária (quando não se consegue mais mapear a cadeia de infecção, ou seja, saber quem foi o responsável pela contaminação). Ser atleta, criança, jovem ou adulto não quer dizer que deixará de ter a doença. O sistema não é imune e casos podem ser graves em qualquer faixa etária ou nível de atividade esportiva”, comentou.

Por causa da preparação, o atleta de alto rendimento pode ter imunidade mais alta do que a população em geral. Isso, porém, não tira o risco de infecção. “A condição de saúde de um atleta de alto rendimento costuma ser boa e pode ser acima da população em geral, por causa da preparação alimentar, mas isso não significa que está imune a uma infecção. O mundo está mostrando isso, mesmo sendo em um grupo de pessoas com menos frequência de casos registrados”, frisou Lígia Pierroti, infectologista do Laboratório Atalaia, em São Paulo.

 

Confira a lista de atletas com coronavírus:

- Thiago Wild, tenista, do Brasil
- Daniele Rugani, zagueiro da Juventus, da Itália. 
- Timo Hübers, zagueiro do Hannover, da Alemanha.
- Rudy Gobert, pivô do Utah Jazz, dos Estados Unidos
- Donovan Mitchell, ala-armador do Utah Jazz, dos Estados Unidos. 
- Callum Hudson-Odoi, atacante do Chelsea, da Inglaterra.
- Manolo Gabbiadini, atacante da Sampdoria, da Itália.
- James Horn, meio-campista do Hannover, da Alemanha.
- Trey Thompkins, ala-pivô do Real Madrid Basket, da Espanha. 
- Fernando Gaviria, ciclista, da Colômbia.
- Maximiliano Richeze, ciclista, da Argentina.
- Dusan Vlahovic, atacante da Fiorentina, da Itália.
- Omar Colley, zagueiro da Sampdoria, da Itália.  
- Albin Ekdal, meio-campista da Sampdoria, da Itália. 
- Antonino La Gumina, atacante da Sampdoria, da Itália.
- Morten Thorsby, meio-campista da Sampdoria, da Itália.
- Fabio DePaoli, meio-campista da Sampdoria, da Itália.
- Bartosz Bereszynski, zagueiro da Sampdoria, da Itália. 
- Christian Wood, pivô do Detroit Pistons, dos Estados Unidos. 
- Jogador do Seattle Dragons, equipe da XFL, dos Estados Unidos, que não teve nome divulgado. 
- German Pezzella, zagueiro da Fiorentina, da Itália.
- Jogador do New York Yankees, time de beisebol, dos Estados Unidos, que não teve o nome divulgado. 
- Jonathas, atacante brasileiro do Elche, da Espanha.
- Ezequiel Garay, zagueiro do Valencia, da Espanha.
- Eliaquim Mangala, zagueiro do Valencia, da Espanha. 
- José Luis Gaya, lateral do Valencia, da Espanha. O clube divulgou que 35% de seu elenco testou positivo. 
- Mads Mensah Larsen, jogador de handebol do Rhein-Neckar Löwen, da Alemanha.
- Patrick Cutrone, atacante da Fiorentina, da Itália.
- Jogador do New York Yankees, time de beisebol, dos Estados Unidos, que não teve o nome divulgado. 
- Blaise Matuidi, volante da Juventus, da Itália.
- Dori,atacante ex-Fluminense, atualmente no Meizhou Hakka (China)
- Luca Kilian, defensor do Paderborn, da Alemanha
- Dybala, atacante argentino da Juventus, da Itália.
- Kevin Durant, ala do Brooklyn Nets, e outros três jogadores do seu time, que não tiveram os nomes revelados
- Marcus Smart, armador do Bolson Celtic
- Maique, jogador do Paulistano