A funcionária que acusa de assédio sexual e moral o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, acrescentou dois nomes ao caso investigado pelo conselho de ética da entidade. De acordo com ela, há duas outras mulheres vítimas do comportamento do dirigente. A inclusão dos nomes, noticiada inicialmente pelo UOL, não significa que essas dua...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários