Depois de um documento ter sido divulgado nas redes sociais contendo o valor de dívidas de ações trabalhistas e cíveis da equipe colorada, dirigentes do clube negaram as informações. O arquivo circula em grupos de Whatsapp, Facebook e Twitter e cita que o valor de R$ 5.213.923,86 é referente a estes tipos de dívidas, geradas no período entre 2016 e 2019, nas gestões presidenciais de Guto Veronez e Ecival Martins.

“Nós temos dívidas, sim, mas não posso afirmar que esses valores são reais. Todo clube vive com isso. Essa pessoa (que divulgou o documento) colocou as dívidas que pagamos? Todos os dias, pago dívidas do passado. A dívida não é minha. É do Vila Nova. Os recursos que o Vila Nova recebe, desde que cheguei, são insuficientes para pagar todas as dívidas do passado e do presente do clube. Quem divulgou isso é irresponsável. No final do meu mandato, vou mostrar as dívidas e pagamentos do período que estive à frente do clube”, disse o atual presidente do Vila Nova, Ecival Martins.

O dirigente preferiu não citar nomes, mas disse acreditar que a divulgação do documento tenha ocorrido por causa do momento do clube, que se aproxima de eleições das presidências executiva e do Conselho Deliberativo. “O próximo (presidente) que entrar vai enfrentar a mesma dificuldade que enfrentei até o último dia do meu mandato. O Vila Nova precisa parar com isso. Nos três anos que fiquei como presidente, fui incompetente no sentido de unir o clube. É muito difícil”, frisou Ecival Martins.

Segundo o advogado do Vila Nova, Ricardo Bessa, os valores não são reais porque há processos que ainda não tiveram sentenças definidas. “Alguns dos processos ainda estão em fase de recursos. Não pode falar que isso é uma dívida se o valor não está definido”, comentou Ricardo Bessa, que cita o caso do volante Fagner como exemplo desta situação.

No arquivo divulgado, o jogador, que passou pelo clube entre 2016 e 2018, possui valor de R$ 790.810,76 para receber do Vila Nova. Ricardo Bessa disse que este processo possui recurso colorado para ser avaliado.

“Isso pode ter sido divulgado por causa do momento político que o clube vive. Ninguém divulgou que tivemos de dois a três processos trabalhistas neste ano? A gestão do Ecival (Martins) é uma das melhores do Vila Nova. Reduzimos muito o número de ações, o Vila Nova já teve anos com 30 processos trabalhistas”, disse o responsável pelo departamento jurídico do Tigre, que não soube informar qual o valor real da dívida porque precisa analisar cada caso citado no arquivo.

O presidente Ecival Martins disse que, antes do fim do seu mandato, apresentará estes dados para imprensa e torcida do Vila Nova.