As atuações do Atlético, nesta Série B, ainda não convenceram a diretoria atleticana sobre potencial do clube para buscar o acesso à elite nacional. A derrota não foi bem digerida. O presidente e diretor de futebol do clube, Adson Batista, criticou muito a atuação do time, a forma como foi preparado pelo treinador Wagner Lopes e cobrou reação na quinta-feira, contra o Guarani, no Estádio Antônio Accioly.

“Nosso time não pode ser só o Matheuzinho ou Jorginho. Não pode jogar só o que jogou hoje (nesta sexta-feira). É um momento preocupante. Vi um time desorganizado, sem tática e sem vibração em campo”, disse o dirigente, à Rádio Bandeirantes.

Adson Batista não aprovou a mudança promovida por Wagner Lopes, que optou por Pedrinho na vaga de Matheuzinho, jogador suspenso, nesta sexta-feira. “Realmente, ele (técnico) não foi feliz e não deu encaixe. O Atlético pode produzir mais. Precisa voltar a jogar com alegria”, criticou.

Adson Batista deve se reunir com a comissão técnica para cobrar a reação. Por enquanto, deve manter Wagner Lopes, mas o futuro do treinador passa por vitória sobre o Guarani. “Não é só culpar o treinador. O time também não jogou. Também tenho minha parcela de culpa”, disse.

Para Adson, o resultado mostra “que é preciso fazer uma avaliação profunda e que temos de fazer alguma coisa”. Ele reconhece necessidade de contratar reforços, mas avaliará isso.