Com suas atividades suspensas há duas semanas por causa da pandemia de coronavírus, os jogadores do Santos foram avisados, neste domingo, que vão entrar em férias entre os dias 1.º e 20 de abril. O período, segundo o presidente José Carlos Peres, poderá ser ampliado conforme a proliferação da covid-19.

A decisão vai de encontro do que foi discutido em reunião, na sexta-feira, entre a Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) e a Comissão Nacional de Clubes. A remuneração das férias será paga, a princípio, no quinto dia útil de maio.

Funcionários de indicados por gerências e diretorias ao departamento de recursos humanos vão continuar a trabalhar no sistema de "home office" (de casa).

A comissão técnica do Santos, orientada pelo português Jesualdo Ferreira, formulou uma "cartilha" para orientar os atletas a se exercitarem em casa durante o período de isolamento para manter a forma física.

O CT Rei Pelé está fechado, enquanto a Vila Belmiro recebe ações de combate ao coronavírus. Um exemplo é uma campanha de vacinação "drive thru" para evitar aglomerações em postos de saúde.

No momento em que o futebol foi paralisado, o Santos liderava o Grupo A do Campeonato Paulista, com 15 pontos, após dez jogos disputados. Na Libertadores, a equipe tinha o primeiro lugar no Grupo G, com duas vitórias obtidas, depois de duas rodadas.