Nos últimos meses, a pequena Brasileia, no Acre, ficou conhecida pela grande e constante presença de imigrantes haitianos que chegam ao Brasil em busca de melhores condições de vida e trabalho. Brasileia fica na fronteira com Peru e Bolívia e, por ali, os haitianos entram no País. Além de ser porta de entrada dos imigrantes que vêm do Haiti, um detalhe chamou a atenção, nesta terça-feira, referente a Brasileia. Isso porque três torcedores vieram da cidade acreana para visitar familiares em Goiânia e, por extensão, visitaram o Atlético.

Os irmaõs chiquinho e Dorismar Chaves e o amigo José Mássimo tiveram um dia de fã no Atlético e, por sinal, ficaram encantados com a recepção no clube após viagem de 3,5 mil quilômetros do Acre até Goiânia. "Acompanhamos o Atlético pela TV durante o Campeonato Brasileiro, gostamos e passamos a torcer pelo time. Agora, resolvemos vir aqui, conhecê-lo", disse Chiquinho Chaves, um dos três novos rubronegros. No primeiro jogo da final, os três foram ao Serra Dourada e torceram pelo Dragão. Eles esperavam a vitória, mas não lamentaram o empate de 2 a 2. E, domingo, querem soltar o grito de campeão no Serra Dourada com a vitória atleticana. 

Chiquinho aposta 2 a 0, o irmão Dorismar diz que será 2 a 1 e José Mássimo previu 3 a 2. "A contratação do Adilson Batista (treinador) coloca o Atlético como time de expressão. As duas participações no Brasileiro (2010 e 2011) provam isso", disse Dorismar Chaves. Ele, o irmão Chiquinho e o amigo Mássimo consideram Bida, Joilson e Felipe como os nomes de expressão da equipe atleticana.

José Mássimo é funcionário público municipal em Brasileia e revela que trabalhou para ajudar na regularização dos haitianos que entraram pela fronteira brasileira com o Peru e a Bolívia. Segundo ele, a cidade chegou a ter cerca de 2 mil haitianos à espera de uma solução. Ele garante que todos foram bem atendidos. Assim como fez questão de receber bem os imigrantes, José Mássimo ressaltou a receptividade do Atlético. Ao lado de alguns jogadores, comissão técnica, torcedores e até da imprensa, os acreanos fizeram questão de tirar fotos. Sentindo-se "em casa", o trio ficou surpreendido com o mimo atleticano - José Mássimo, Dorismar e Chiquinho foram presenteados com camisas oficiais do clube.