À espera de sinalização da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e Federação Goiana de Futebol (FGF) em relação à retomada de torneios antes em disputa (Copa do Brasil e Goianão) ou ao início da Série A, o Atlético-GO está de volta aos treinos físicos, no CT do Dragão, a partir da manhã desta segunda-feira (1º de junho). Agora, a atividade será com autorização por meio de decreto da prefeitura de Goiânia, já que, uma semana atrás, o espaço chegou a receber atividades sem liberação de autoridades.

O rubro-negro é o primeiro clube da capital a retornar aos treinos, após dois meses e meio de paralisação - a última atividade autorizada foi no dia 17 de março, no começo da pandemia do coronavírus. Sem autorização do órgãos governamentais de saúde, parte do elenco treinou no CT do Dragão nos dias 25 e 26 de maio, quando foi flagrada por imagens. Os atletas tinham sido autorizados pelo presidente do clube, Adson Batista, após se submeterem aos testes rápidos para Covid-19.

De olho no futuro, o Atlético se antecipou para testar 24 atletas - todos foram negativos, segundo o chefe do departamento médico do clube, Gleyder Sousa. Eles vão reiniciar trabalhos físicos, a partir desta segunda (1º), divididos em quatro grupos de seis atletas, supervisionados por dois profissionais: um membro da comissão técnica e outro do departamento médico. Os treinos serão das 8 às 9h30 (dois grupos) e das 10 às 11h30 (outros dois).

Na chegada ao CT, cada jogador terá temperatura corporal aferida e responderá ao questionário epidemiológico, com informações dele e do grupo familiar. Cada um irá no próprio carro e vestido com material de treino. São recomendações que estão no protocolo elaborado pelos médicos do clube e que serão regras, que foram explicadas em reuniões por videoconferência com o elenco.

A diretoria atleticana se empenhou, nos bastidores, para obter liberação da prefeitura de Goiânia. Na sexta-feira (29), o prefeito Iris Rezende autorizou treinos físicos nos clubes da capital. Após deslize do clube, na semana passada, a direção promete seguir o protocolo médico elaborado e, se for preciso, investirá ainda mais na segurança e saúde de atletas e funcionários.

Adson Batista revelou que está estudando a possibilidade de o clube adquirir uma cabine de desinfecção. O equipamento será usado por alguns clubes do País e de clubes do exterior. “A gente está avaliando (aquisição), pois não é uma necessidade absoluta. Vamos avaliar isso, pois os médicos não entendem tanto como uma prioridade”, disse Adson Batista.

O empenho político do clube pela retomada dos treinos gerou desgaste com a direção do Goiás e proximidade com a diretoria do Vila Nova. Os dirigentes do Dragão entendem que, quando a CBF sinalizar com a volta do futebol, o elenco estará fisicamente bem e essa será uma arma para enfrentar grandes clubes na elite nacional. “Preciso da sinalização, mas entendemos que não podemos esperar. O jogador, quando fica tanto tempo sem treinar, pode se tornar sedentário e perder massa muscular”, argumentou Adson Batista. Ele espera por novidades, em termos de recomeço das competições nacionais, a partir de julho. Patrocinadores e parceiros (dois) ensaiam reaproximação com o clube, após suspensão de contratos no início da pandemia.

O clube mantém a comissão técnica que é permanente da equipe. Eduardo Souza, treinador interino, permanece no comando do time. Entre os 24 atletas, a novidade será o retorno do goleiro Gustavo, emprestado ao Novorizontino-SP.

Elenco que volta aos treinos

Goleiros: Maurício Kozlinski, Jean, Lucas Pereira e Gustavo

Laterais: Reginaldo, Dudu, Nicolas e Moraes

Zagueiros: Oliveira, Gilvan e Éder

Volantes: Moacir, Edson e Marlon Freitas

Meias Jorginho, Matheuzinho, Matheus Vargas e Vaca

Atacantes: Ferrareis, Hyuri, Renato Kayzer, Júlio César, Júnior Brandão e Edson Júnior