Grandes eventos do agronegócio devem ser cancelados ou adiados por conta dos casos de coronavírus em Goiás. A 19ª Tecnoshow Comigo, que é a maior feira de tecnologia rural do Centro-Oeste, está na lista. Ela seria realizada de 30 de março a 3 de abril em Rio Verde, onde foi confirmado ontem um dos casos da doença Covid-19 no Estado.

A organização do evento não confirmou suspensão ou cancelamento até a noite de ontem. Mas o prefeito da cidade, Paulo Faria do Vale (DEM), afirmou que não ocorreria mais. O governador Ronaldo Caiado (DEM) também disse ontem que a feira está entre os eventos que devem ter de ser adiados no Estado.

Em entrevista ao POPULAR, Caiado afirmou que nos decretos que devem ser publicados hoje não definirá quais festas e eventos não poderão ocorrer na esfera privada. “Em primeiro momento, onde se espera um pico da contaminação do vírus nos próximos 15 a 17 dias é lógico que temos de diminuir tudo aquilo que favorece a contaminação, que são as aglomerações, os contatos.”

Ressaltou que tem a prerrogativa para, em situação de emergência, como se trata de saúde pública, de pedir a interdição durante esse momento de pico. A intenção é “não colocar vidas em risco”. O governador anunciou ainda que os eventos públicos organizados pelo Estado serão suspensos, como cursos, seminários e formaturas, e sugeriu que organizadores de eventos particulares também adotem a mesma medida por até quatro meses.

A Tecnoshow Comigo é organizada pela Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sudoeste Goiano (Comigo). Segundo assessoria de imprensa, a diretoria só irá se posicionar sobre possível cancelamento a partir de hoje, após uma reunião de avaliação e publicação de decreto pelo governo.

A edição de 2020 tinha a expectativa de superar a movimentação financeira do ano anterior, que teve recorde de R$ 3,4 bilhões. O evento envolve mais de 600 expositores e eram esperados mais de 118 mil visitantes de todas as regiões produtoras do País.

Uma das novidades da Tecnoshow deste ano era a instalação do pavilhão internacional e que serviria como ambiente para intercâmbio de informações com possíveis rodadas de negócios com pessoas de outros países. Dez embaixadas tinham confirmado a presença até fevereiro com comitivas de seus países para trocar experiências no segmento do agronegócio.

ExpoPec

Outro evento que poderá ser suspenso é a Exposição das Tecnologias Voltadas ao Desenvolvimento da Pecuária (ExpoPec), que entre 19 e 21 de março, em Porangatu. O coordenador técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Leonardo Machado, também informou que a organização aguarda o decreto do governador para que o futuro do evento seja definido.

“Cancelamentos de encontros que estão no calendário como importantes mexe com o setor, porque são momentos em que o produtor busca fechar pacotes para a safra e caso sejam adiados isso trará uma certa apreensão”, diz. A pandemia de coronavírus já tinha outros impactos importantes esperados pelos produtores, como redução de exportações por conta da redução do consumo na economia mundial, sendo que há uma grande safra de milho. Há também preocupação com encarecimento de insumos por conta da elevação do dólar.

Entre eventos marcados para os próximos meses, está a 75ª Exposição Agropecuária do Estado de Goiás, a Pecuária 2020, prevista para maio. A previsão é de que mais de 400 mil pessoas passem pelo parque durante a festa em Goiânia. Sobre possível mudança de datas, a Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA) informou que está buscando novas informações para um posicionamento formal.

Em outras áreas já houve cancelamentos. O Encontro Nacional de Tecnologia, Inovação e Cultura (Enastic), que, pela primeira vez seria sediado em Goiânia, nos dias 2 e 3 de abril, foi adiado. A organização informou que nova data será divulgada oportunamente.