A ministra Cármem Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), não conheceu Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ajuizada pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) contra leis estaduais que modificaram o Fundo de Aporte (Funac) da Enel Distribuição Goiás, antiga Celg D. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) no dia 3 ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários