As indústrias goianas de produtos essenciais, como alimentos e medicamentos, continuaram produzindo mesmo durante os decretos de isolamento social, que começaram a vigorar em março de 2020. Enquanto várias fábricas em outros estados ficaram fechadas por vários meses, no ano passado muitas unidades goianas produziram até mais que em anos anteriores para atender a demanda d...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários