O Ministério Público Federal se manifestou contra a suspensão do aplicativo Buser, conhecido como ‘Uber dos ônibus’ e defendeu um exame ‘mais aprofundado’ sobre a possibilidade de o serviço de ‘fretamento colaborativo’ causar danos aos usuários e empresas. A posição foi defendida em parecer enviado ao Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2) no âmbito de u...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários