A Volkswagen Caminhões e Ônibus confirmou que  no segundo semestre do ano que vem, estreia no mercado nacional o e-Delivery, primeiro caminhão leve 100% elétrico do Brasil.  O anúncio, que se encaixa com a proposta de preocupação com o meio ambiente, redução de custos operacionais e tecnologia,  foi feito durante da 22ª Fenatran, Salão Internacional do Transporte  Rodoviário de Carga,  que se encerra na sexta-feira, dia 18, em São Paulo, com as novidades da produção de caminhões, ônibus e implementos.

O Volkswagen e-Delivery chegará nas versões 11 e 14 toneladas, equipado com motor elétrico de 272 cavalos, destinado a entregas  urbanas. A previsão é entregar 1,6 mil unidades elétricas até 2023. O primeiro da frota está em teste há um ano, numa parceria com a Cervejaria Ambev. Segundo balanço da montadora alemã, o modelo percorreu 15 mil quilômetros em entregas de bebidas na Zona Sul de São Paulo e deixou de emitir 11 toneladas de gás carbônico na atmosfera.

Se fosse um caminhão convencional, seria necessário consumir 3,3 mil litros de diesel para cumprir a mesma jornada, explicou um executivo da marca.

Trem de força

O primeiro caminhão desenvolvido no Brasil a entrar em produção em série em 2020 é o e-Delivery 14 toneladas, concebido na configuração 6x2. O modelo traz novo conjunto de trem de força e arquitetura modular para atender todo o portfólio de veículos comerciais elétricos Volkswagen.

O motor elétrico entrega até 260kW de potência com autonomia de até 200 km, variando de acordo com as condições de operação. A recarga das baterias pode ser realizada de forma flexível (30% em 15 minutos ou 100% em 3 horas), de forma a atender às mais variadas demandas da operação, assim como a disponibilidade de infraestrutura.

O e-Delivery 14 toneladas também traz sistema de leitura inteligente da massa transportada pelo veículo para ajustar o consumo de energia, em conjunto com o Eco-DriveMode. Chassis, rodas e pneus seguem as características tradicionais e toda robustez da nova linha Delivery, compartilhando componentes da plataforma para garantir a sinergia e escala de componentes também com a família diesel, visando redução de custos.

Além de baixíssimo nível de ruído e emissões zero, o conforto é assegurado pelo exclusivo sistema de suspensão a ar, que torna a experiência a bordo muito mais confortável, reduzindo a fadiga e colaborando para o aumento da produtividade da operação.

Caminhões a gás

Também focada na questão ambiental, a Scania anunciou na Fenatran a abertura das vendas da linha de caminhões movidos a GNV, GNL ou biometano. Os destaques do estande são os caminhões da Nova Geração. As novidades são dois pesados mais sustentáveis, um movido a gás natural veicular (GNV) ou biometano e outro 100% a gás natural liquefeito (GNL) ou biometano.

No estande da montadora estão 13 caminhões: R 410 6x2 (GNV e/ou biometano), R 410 6x2 (gás natural liquefeito (GNL) e/ou biometano), S 540 6X4, R 620 6X4, R 450 6X2, R500 6X4, G 410 6X2 eS 500 6x4 (da linha pesada);P 360 4X2, P320 8X2 eP 280 6X2 (da gama urbana/regional); e G 500 8X4 XTe G 540 6X4 XT (segmento fora de estrada). Na entrada da Scania, atrás do estande, estão outros dois modelos, um semipesado P 280 6x2 da Multilixo customizado como coletor de lixo e um S 5006x. (Maurílio Lemes Faleiro, de São Paulo, para o Sobre Rodas)