Fernanda Pinheiro das Neves, 24 anos, é atendente em um café localizado no Setor Sul, em Goiânia, e espera a liberação dos 500 reais do FGTS para pagar a conta de um armário de cozinha que adquiriu. “Achei o valor pequeno. Com o País quebrado, o que dá para fazer com R$ 500? A maior parte das contas são mais altas que isso. Tenho R$ 2 mil de FGTS e se pudesse pegar t...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários