A greve dos caminhoneiros, os consequentes subsídios ao diesel e a redução da base de cálculo do ICMS para os combustíveis vão impactar por no mínimo três meses a arrecadação de municípios de Goiás. Cálculos da Federação Goiana dos Municípios (FGM) e da Associação Goiana de Municípios (AGM) apontam que os impactos serão de até 25% da receita. Com isso, a saída te...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários