O Governo de Goiás por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) e da GoiásFomento vai injetar R$ 500 milhões para capital de giro emergencial dos empresários que tiveram que paralisar suas atividades desde quinta-feira (19) como prevenção ao coronavírus.

Os R$ 500 milhões são para custos fixos, para MEI, micro e pequenas empresas. A carência é de 6 a 12 meses e o prazo para pagamento de 24 meses e o governo vai disponibilizar ainda a criação de um Fundo de Aval para facilitar o crédito aos microempresários.

A previsão é liberar, já na próxima semana, os recursos para capital de giro de bares e restaurantes que também atenderam ao decreto estadual publicado na semana passada. As linhas de crédito irão para pagamento de funcionários, além disso, outros segmentos também serão beneficiados, entre eles, organizadores de eventos e meios de hospedagens.

O recurso estará disponível para empréstimo na GoiásFomento, no Goiás Empreendedor e Banco do Brasil, via Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Cerca de R$ 350 milhões virão dos dois agentes financeiros oficiais do Governo de Goiás.

Recurso

Os empresários devem acessar esses recursos exclusivamente por contato via telefone com gerentes do Banco do Brasil, ou por canais oficiais via internet. O mesmo procedimento deve ser adotado para o contato com a GoiásFomento e o Goiás Empreendedor (Banco do Povo).

Para contato na GoiásFomento o empresário deverá ligar para o número (62) 3216-4900. E para o Goiás Empreendedor falar nos seguintes contatos: (62) 9 8127-4412, (62) 9 8225- 5120, ou nos e-mails propostasinterior.sic@goias.gov.br - Informações sobre crédito e propostas em andamento e analistascredito.sic@goias.gov.br - renegociações e atualização de boletos vencidos. A ida nesses agentes de crédito só deve ocorrer quando for solicitada.