O governador Ronaldo Caiado (DEM) decretou novas restrições para o funcionamento de empresas em Goiás. Com a intenção de reduzir mais o número de pessoas que circulam pelas cidades para conter o avanço do coronavírus no Estado, o decreto publicado no início da noite desta sexta-feira (20) incluiu desta vez algumas indústrias e permite apenas que estabelecimentos essenciais fiquem abertos.

Define que “toda e qualquer atividade de circulação de mercadorias e prestação de serviços, em estabelecimento comercial aberto ao público, considerada de natureza privada e não essencial à manutenção da vida” deverá ser suspensa.

Entre o que poderá continuar as atividades nos próximos 15 dias, estão indústrias consideradas estratégicas, como aquelas que produzem medicamentos, alimentos, produtos de higiene e limpeza, combustíveis e produtos para animais. Além disso, devem manter as portas abertas supermercados, farmácias, postos de combustíveis, sistema bancário, lotéricas, transporte público, clínicas, hospitais e laboratórios.

Restaurantes continuam com a restrição de público sendo permitido no Estado apenas a operação de entrega, os serviços de delivery.  Isso já havia sido determinado no decreto anterior, publicado na terça-feira (17).