O ex-presidente da República Fernando Collor de Mello pediu perdão nesta segunda-feira (18), pelo confisco de saldos de cadernetas de poupança e contas correntes em março de 1990. Pelo Twitter, o agora senador disse que acreditou que as medidas radicais poderiam conter a inflação. O pedido de desculpas acontece mais de 30 anos após o anúncio do Plano Collor 1, e...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários