Se todos os financiamentos solicitados à Caixa na 14ª Feira do Imóvel, realizada no último fim de semana, em Goiânia, forem assinados, as empresas participantes terão realizado cerca de R$ 470 milhões em negócios. Isso significará a venda de 1.760 unidades apenas durante os três dias do evento. O balanço bem acima das expectativas surpreendeu e animou as empresas do mercado imobiliário goiano, que devem voltar a investir em lançamentos. 

O evento, realizado no estacionamento do Grupo Jaime Câmara, contou com a participação de 20 empresas e recebeu um público de cerca de 10 mil visitantes, realmente interessados na compra de um imóvel. O presidente do Sindicato dos Condomínios e Imobiliárias (SecoviGoiás), Ioav Blanche, considera o balanço muito positivo. Segundo ele, a Caixa realizou 400 atendimentos de pessoas que buscaram financiamentos pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), totalizando R$ 116 milhões.

Os financiamentos para o programa Minha Casa Minha Vida tiveram 140 atendimentos, que somaram mais de R$ 315 milhões, a maior procura da feira. Os demais produtos da Caixa totalizaram mais de R$ 40 milhões. “Isso significa que, em apenas três dias, foram solicitados mais de R$ 470 milhões em financiamentos de quase 2 mil imóveis, entre negócios já fechados ou iniciados”, destaca Ioav.

De acordo com ele, nesses três dias, muitas imobiliárias fizeram negócios que, geralmente, levariam um mês, mostrando claramente que o “mercado está voltando a ficar comprador”. “Muitas pessoas que ficaram adiando a compra do imóvel, nos últimos quatro anos, agora voltaram para o mercado sedentas”, ressalta. Ele acredita que isso deve motivar a volta dos lançamentos no mercado.

Nos três dias da feira, 300 pessoas foram atendidas no estande da MRV e, destas, 120 fizeram análise de crédito e entregaram documentação para a compra de um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida. “Já conseguimos assinar contrato com metade destas pessoas. Para o restante, ficou faltando algum documento e devemos finalizar a venda neste mês de outubro”, conta o gestor regional de vendas da MRV, Fernando Salomão. 

Segundo ele, isso deve resultar em quase R$ 10 milhões em negócios, superando as expectativas. “Como fazemos cerca de 170 vendas mensais, o volume já assinado em três dias na feira representa 30% do mês”, destaca. Fernando informa que a empresa ainda oferecerá transporte para que os clientes que se cadastraram na feira possam conhecer melhor os produtos.

O diretor comercial da Vincer Inteligência Imobiliária, do Grupo Tropical Urbanismo, conta que a empresa somou quase R$ 5,4 milhões em negócios fechados ou em andamento por causa da feira, com a venda de apartamentos, lotes e casas. Segundo ele, isso mostra que o mercado já está querendo reagir, o que é um fator importante para estimular a volta dos lançamentos. “Nós mesmos vamos lançar empreendimentos de apartamentos e condomínios fechados de terrenos no fim deste ano e início do próximo”, diz.

A Brasal Incorporações levou apenas um empreendimento de médio padrão para a feira, na faixa de quase R$ 400 mil, no Jardim Goiás, e conseguiu realizar 560 cadastros de clientes, com dois contratos já assinados. “Superou as expectativas com uma boa resposta em termos de aceitação de produto”, destaca.