Para Arminio Fraga, ex-presidente do Banco Central e sócio da Gávea Investimentos, o auxílio emergencial, que acabou ao fim de 2020, deveria ter um fim mais paulatino.“Um país mais arrumado não retiraria todo o auxílio de uma vez. É meio como uma cortisona na medicina. Você deu uma dose enorme, e talvez até exagerada. No entanto, agora, a falta de espaço fiscal e de cred...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários