As distribuidoras de combustíveis deverão continuar recolhendo o adicional de 2% de ICMS destinados ao Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Protege), que incide sobre a venda de gasolina, óleo diesel e etanol hidratado. Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu os efeitos de outra decisão da Justiça de Goiás que havia beneficiado as empresas filiadas a...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários