Com uma importância cada vez maior nas famílias, onde já são tratados como verdadeiros membros, os animais domésticos que costumam acompanhar seus donos são aceitos em um número cada vez maior de estabelecimentos comerciais e de serviços. Shoppings, bares, restaurantes e até hotéis estão abrindo suas portas para os pets, visando conquistar a preferência de seus donos. São as chamadas “pet friendly”, as empresas amigas dos animais.

O Goiânia Shopping aderiu a esta tendência há cerca de um mês e a frequência de animais é crescente, confirmando a boa adesão. A superintendente Fernanda Pires justifica que cada vez mais pessoas optam por ter animais de estimação. “Eles fazem parte da família, que quer levá-los para os programas de lazer”, destaca. O shopping criou até um manual de convivência com regras disponíveis nos acessos ao shopping e redes sociais.

São aceitos animais de todos os portes, mas a superintendente lembra que eles devem usar coleira e, por norma da Vigilância Sanitária, não podem acessar áreas de alimentação. As raças de maior porte também precisam usar focinheira. O shopping disponibiliza até carrinhos para carregar os pets, que podem entrar nas lojas, e saquinhos plásticos para recolher as fezes. Segundo ela, a medida também teve ótima repercussão nas redes sociais.
O empresário Alexandre Arroyo já se acostumou a levar seu dálmata, o Floquinho, para vários lugares, como passeios ao parque, viagens, restaurantes e até nas compras. Ele ressalta que o cão é seu grande companheiro e um membro da família e, por isso, prefere não ir a lugares onde ele não é aceito. “Sempre dou preferência a lugares que aceitam animais”, afirma.

A Tartuferia San Paolo destinou um espaço com 16 lugares na área externa para os clientes que fazem questão de levar seus pets. O proprietário, o empresário Cleiby Roberto da Silva, conta que todos os pets são bem vindos e o estabelecimento fornece água aos animais. “Alguns clientes sempre levam seus bichos e chegam a passar o dia com eles no restaurante”. A única regra é usar a coleira. Todas as quatro unidades da San Paolo no País aceitam animais.

 

Happy hour

Os pets também são bem vindos na Hops Cerveja Especiais desde a abertura da casa, há quatro anos. De lá pra cá, o proprietário Leonardo Abrão conta que, além de cães e gatos, já recebeu vários outros animais, como coelhos, periquitos e até iguanas. Segundo ele, alguns estão com os clientes em praticamente todas as visitas ao estabelecimento, que oferece recipientes para água e ração. No Hops, as regras são mais flexíveis e não é exigido nem o uso de coleira. “Nunca tivemos problemas com os animais. É um nicho que deu certo”, afirma. Para Leonardo, o melhor termômetro da boa aceitação são os elogios nas redes sociais.

Já existe um selo que certifica hotéis e pousadas com serviços para animais de estimação que viajam com seus donos. É o caso do Prive Riviera, em Caldas Novas, que recebe animais de estimação de pequeno e médio porte. O gerente de Marketing e Relacionamento do Grupo Prive, Giuliano Menegassi, explica que, no Riviera, o animal pode ficar no próprio apartamento do dono. Mas, se isso não for necessário, ele pode se hospedar em qualquer hotel da rede, que disponibiliza alojamento próprio para os bichinhos, com local para dormir e recreação, pagando entre R$ 50 a 100, dependendo dos serviços escolhidos.