O Departamento de Vigilância Sanitária, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), orienta proprietários e frequentadores de salões de beleza e barbeiros quanto ao cumprimento das normas de segurança em saúde dos estabelecimentos, nesta época do ano em que aumenta consideravelmente o número de clientes.

Segundo a Anvisa, é fundamental que todos fiquem atentos quanto a higiene desses locais, que precisam seguir algumas regras, que muitas vezes não são respeitadas. Qualquer serviço dessa modalidade deve ser realizado em local apropriado, limpo e arejado, seguindo uma rotina de limpeza dos materiais de uso coletivo, como pentes e escovas.

Os clientes devem verificar também se o salão de beleza possui alvará sanitário, que é obrigatório e expedido pela Prefeitura de Goiânia. O licenciamento é uma garantia de que o local foi fiscalizado e não oferece riscos à saúde dos frequentadores.

A chefe da Divisão de Ambientes de Interesse à Saúde, Francinês Linharez Ferreira, afirma que muitas pessoas desconhecem as normas de segurança, como por exemplo, esterilização de materiais de manicure , para evitar contaminação por doenças como Hepatite, existência de lixeiras com pedal, sabonete líquido e papel toalha nos banheiros. "Nossa intenção é orientar para que a atividade não ofereça riscos à saúde dos clientes e nem dos profissionais", completou.

 

Fiscalização
Após inspeção sanitária, dependendo da irregularidade constatada, os estabelecimentos comerciais podem receber orientações para adequação ou, em caso de maior gravidade, multa ou até mesmo interdição.

 

Contaminação
As infecções mais comuns adquiridas em salões são verrugas e fungos nas unhas. Ambas podem ser evitadas com esterilização dos instrumentos de trabalho.A SMS pede que população avalie bem o estabelecimento escolhido, prestando atenção nos cuidados mínimos de higiene.

 

Uso do Formol
O formol só pode ser usado, na fórmula de cosméticos, como conservante ou agente endurecedor de unhas e nas quantidades determinadas pela Vigilância Sanitária. Seu uso como alisante capilar é ilegal e pode causar em quem aplica ou recebe o tratamento, problemas sérios de saúde como
câncer na boca, narinas, pulmão, sangue e cabeça, além de outros mais comuns, como queimaduras no couro cabeludo, queda de cabelo e problemas respiratórios.

Dúvidas sobre determinado estabelecimento, podem ser esclarecidas na Vigilância Sanitária, pelo telefone 3524-1517.

 

As informações são da Prefeitura de Goiânia.