*Atualizada às 22h

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) determinou a paralisação das aulas em todos os níveis educacionais, públicos e privados, por 15 dias, como medida para conter a disseminação do novo coronavírus em Goiás. A nota técnica divulgada na tarde deste domingo (15), assinada pelo titular da pasta, o secretário Ismael Alexandrino, informa que a interrupção das atividade deve ocorrer preferencialmente a partir desta segunda-feira (16), com tolerância máxima até quarta-feira (18). 

Na nota técnica, a SES pede que a paralisação das aulas ocorra “de preferência por meio da antecipação das férias escolares”. A medida vale inicicalmente por 15 dias, “podendo tal paralisação ser prorrogável a depender da avaliação da autoridade sanitária do Estado”.

A exceção se aplica aos alunos universitários dos cursos da área de saúde. "Para estes, recomenda-se que sejam incluídas imediatamente, e em todas as disciplinas e períodos, aulas alinhadas às orientações técnicas dos protocolos do Ministério da Saúde e da SES-GO, abrangendo as características epidemiológicas, diagnósticas, clínicas e terapêuticas observadas na Covid-19 e nas demais Síndromes Respiratórias Agudas Graves, com foco no indivíduo e na coletividade", diz a nota.

O documento detalha a forma como as aulas para os universitários dos cursos da área da saúde sejam ministradas: grupos menores, de até 10 pessoas, preferencialmente em salas com janelas e corrente de ar natural, e não somente ar-condicionado. Diz ainda que todos os universitários da saúde "deverão se comportar como aliados no combate à pandemia" e que poderão ser convocados a qualquer tempo pelo Estado. 

"A qualquer tempo, o poder público poderá convocar todos os graduandos da saúde a ajudarem nas unidades de saúde atuais ou que venham a ser montadas com a finalidade de combater a pandemia e outras implicações ao sistema de saúde relacionadas à Covid-19."

Escolas públicas
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informa que a decisão para a suspensão das aulas foi de forma conjunta com a SES-GO e, logo, a mesma será acatada prontamente. No entanto, há o entendimento sobre a dificuldade para que a informação chegue a toda a comunidade da rede estadual de forma rápida, especialmente em cidades mais afastadas da Região Central. Por isso, as escolas estarão abertas nesta segunda-feira (16) e os professores estarão nas unidades para recepcionar os alunos, visto que não há o interesse de deixar os estudantes e pais desamparados.

Na terça-feira (17), as unidades escolares estaduais permanecerão abertas para informar os alunos, pais e professores sobre as determinações para a suspensão das atividades escolares. A partir de quarta-feira (18) não haverá mais a entrada dos estudantes nas escolas.

Na rede municipal de ensino de Goiânia, as aulas ocorrerão normalmente nesta segunda-feira(16). O prefeito Iris Rezende (MDB) deverá se reunir com o seu secretariado para avaliar a determinação estadual e também novas "medidas abrangendo outras questões determinadas pelos cidadãos".

Escolas particulares
O Sindicato das Escolas Particulares do Estado de Goiás (SEPE) definiu que as aulas desta segunda-feira (16) estão suspensas, acatando a determinação da SES-GO, mas que as escolas estarão abertas para receber e orientar os alunos neste primeiro momento (veja redes e instituições que atenderam prontamente a medida).

UFG
A reitoria da Universidade Federal de Goiás (UFG) também se reuniu nesta tarde para definir sobre a paralisação. Até então, o comitê interno da UFG, que já estava acompanhando a situação da pandemia de coronavírus tendo inclusive cancelado as colações de grau, teria uma reunião amanhã para discutir novas medidas contra a Covid-19. Com a determinação da SES, o reitor Edward Madureira afirma que isso só faz sentido se todos estiverem juntos nisso e o comitê acatou a determinação de imediato, com a suspensão das atividades por 15 dias.