Até o final deste ano, cerca de 1.490 contratos de funcionários temporários da Universidade Estadual de Goiás (UEG) serão rescindidos. Este número representa 47% da mão de obra da instituição de ensino superior atualmente, entre técnicos e professores. As primeiras rescisões aconteceram no início deste mês, com 190 demitidos. Com um desfalque tão grande, o futuro da UEG...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários