O transporte coletivo de Goiânia pode parar a partir de amanhã (24). Em uma reunião realizada ontem (22),  representantes das empresas de ônibus e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Goiás (Sindittrasporte) deliberaram pela interrupção do serviço. O encontro ocorreu na sede da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), mas esta não participou. 

A CMTC agendou para hoje (23) uma reunião em que vai decidir sobre a possibilidade de conceder o aval à paralisação, segundo informado pela assessoria da companhia ao POPULAR.

O posicionamento, conforme o sindicato dos motoristas, foi tomado em “nome da saúde pública”, em razão do aumento número de casos do novo coronavírus (Covid-19) nos últimos dias na cidade. A única exceção será relacionada ao transporte de profissionais da saúde, mas a frota e o número de motoristas que serão designados para a função ainda não foram definidos. Hoje, o transporte coletivo funcionará normalmente. 

A reportagem do POPULAR entrou em contato com o Sindittransporte, que confirmou as medidas tomadas pela classe e as empresas durante o encontro. Motorista e membro da diretoria do sindicato, Gedeão Rodrigues afirmou que o temor de contágio entre os trabalhadores é grande, uma vez que a frota de veículos continua transportando uma quantidade considerável de pessoas. 

O relato de  Gedeão é que 19 motoristas estão com suspeita e apresentam sintomas do novo coronavírus. O próprio diretor confessou que não está seguro para continuar com a atividade, uma vez que o próprio faz parte do grupo de risco. “Eu sou diabético, então o medo de continuar e ser infectado é grande”, afirmou.
A reportagem tentou entrar em contato com o Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (SindColetivo), também representante da classe, mas não obteve sucesso.