No lugar dos caminhões, patrolas e a maior obra de mobilidade urbana de Goiânia, o BRT Norte-Sul, estão veículos de aplicativos de transporte privado, distribuidora de bebidas, pedreiro de obra privada, lotes para limpar ou o desempregado mesmo. Sem trabalho desde que foram dispensados, em agosto, 15 dias depois de a construção ser paralisada por falta de repasses financeiros, o...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários