Um casal e o filho de 1 ano e 4 meses tiveram o diagnóstico de Covid-19 confirmado em uma comunidade quilombola em Teresina de Goiás. No local moram cerca de 150 famílias. Outras 2 mil, espalhadas em diversos quilombolas, moram nas cidades vizinhas de Cavalcante e Monte Alegre.

Segundo a TV Anhanguera, a mulher, de 32 anos, é cuidadora de idosos em Brasília, no Distrito Federal. Ela trabalha com um idoso que atualmente está internado numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da capital federal por conta do novo coronavírus. O marido da cuidadora, de 29 anos, também foi contaminado, assim como o filho deles.

O secretário municipal de Saúde de Teresina de Goiás, Joseme Pereira Lopes, disse à TV Anhanguera que a mulher apresentou os sintomas assim que voltou para casa após retornar num período de folga do trabalho. "Ela apresentou os sintomas logo nos primeiros dias. A nossa equipe se deslocou até a sua residência e os colocou em isolamento, prestando toda a assistência necessária à essa família. Encontram-se também em isolamento mais três pessoas da comunidade por ter tido contato com essa família", explicou Lopes.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) declarou que monitora, junto às Regionais de Saúde, as notificações de casos de Covid-19 entre os quilombolas, por meio da coordenação de Equidade em Saúde, da Gerência de Cuidado a Populações Específicas. 

“A SES-GO se reunirá na próxima segunda-feira, 25, com a prefeitura de Teresina de Goiás, Coordenação Nacional dos Povos Quilombolas (CONAQ), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e representantes da comunidade quilombola, para que, juntos, realizem um levantamento da situação dessas comunidades”, diz o texto.