O custo acumulado para monitoramento de presos que usam tornozeleiras eletrônicas em Goiás desde janeiro deste ano é de R$ 4,5 milhões. O assunto é polêmico, já que existem os que defendem e os que criticam a alternativa à pena que está prevista em lei. O próprio governador do Estado, José Eliton (PSDB) faz críticas ao modelo e defende mais presídios, mas o promotor ...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários