Atualizada às 22h10

Quatro municípios de Goiás possuem casos de mortes que são suspeitas de ter sido causadas pelo novo coronavírus (Covid-19). São quatro óbitos em Goiânia, um em Valparaíso de Goiás, um em Araçu e um em Mineiros. A única morte por coronavírus confirmada foi de uma paciente de 66 anos em Luziânia. Dois casos de óbito, um em Senador Canedo e outro em Águas Lindas, foram descartados nesta quarta-feira (1º).
 
Na capital, a idade dos quatro pacientes com morte suspeita varia de 50 a 83 anos. Um deles, que tinha 77 anos, apresentava comorbidades como doença cardiovascular, hipertensão, doença pulmonar e diabetes.
 
Em Mineiros, cidade com cerca de 66 mil habitantes, na região Sudoeste do Estado, é investigada a morte de um bebê do sexo feminino de 1 ano e 3 meses de idade. Ela tinha síndrome de down e deu entrada em uma unidade de saúde da cidade com sintomas de pneumonia. A doença evoluiu para uma síndrome respiratória aguda grave e a paciente teve de ser entubada. No dia 25 foi feita a coleta para o teste e no dia 27 ela morreu.
 
Segundo a coordenadora municipal de Vigilância Epidemiológica de Mineiros, Rosibel Soares Domingos, a bebê não teve contato com casos suspeitos, nem havia feito uma viagem recente. “Fizemos o teste por precaução. Ela recebeu todos os cuidados que tem de fazer, na parte de isolamento, seguindo o protocolo, justamente porque a gente não sabe (se é coronavírus)”, explica. De acordo com registros da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), a bebê apresentava doença cardiovascular e hipertensão. 

Além da morte da bebê, Mineiros possui outros dois casos suspeitos que aguardam confirmação: o de uma criança, diagnosticada com bronquite, que já recebeu alta e está em isolamento social; e o de um idoso, que está internado com pneumonia. Ele faz tratamento contra câncer e chegou recentemente de uma viagem a outro município. Segundo boletim informativo da prefeitura, a cidade monitora 117 pessoas que estão com sintomas do vírus, mas que não foi feito o exame. O monitoramento é feito pela internet, por telefone e presencialmente, no caso em que a pessoa está hospitalizada. 

O óbito suspeito de Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (DF), é um de paciente de 68 anos, que tinha doença cardiovascular, hipertensão e diabetes. Ele chegou a ser internado no Hospital de Campanha, em Goiânia, antigo Hospital do Servidor, que passou a receber apenas pacientes com suspeita de Covid-19.

Valparaíso tem quatro confirmados de Covid-19. O caso mais grave é de um paciente de 88 anos que está internado no HCamp. Ele teve contato com pessoas do Distrito Federal em viagens de trabalho. 

Viagem
Um outro caso confirmado é de uma mulher, de 36 anos que fez uma viagem internacional. Uma outra mulher, de 38 anos, contraiu o vírus após ter contato com uma pessoa infectada do DF. Um homem, de 35 anos, também teve o teste confirmado após voltar de um Estado com contaminação comunitária. Eles apresentam sintomas leves da doença e são monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Valparaíso.

A reportagem entrou em contato com a SMS de Araçu, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria. 

 

38% dos municípios têm casos suspeitos

Goiás tem 93 municípios com casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19), ou seja, com pelo menos um paciente que fez a coleta para exame, mas que o resultado ainda não ficou pronto. Considerando que o Estado tem 246 cidades no total, este número representa 38% dos municípios. 

Até a noite desta quarta-feira, haviam sido confirmados 73 casos em Goiás, distribuídos em 17 municípios. São eles: Águas Lindas de Goiás (1), Anápolis (4), Aparecida de Goiânia (2), Caldas Novas (1), Campestre (1), Catalão (1), Cidade Ocidental (1), Goianésia (1), Goiânia (42), Itumbiara (2), Jataí (2), Luziânia (1 morte), Paranaiguara (1), Rio Verde (7), Silvânia (1), Trindade (1) e Valparaíso de Goiás (4). Foram descartados 845 casos e ainda são suspeitos 2.333 casos. 

 testes da rede pública são realizados pelo Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen). A média de espera entre a coleta do material no paciente e o resultado do exame tem sido de mais de quatro dias. Dos 854 primeiros exames realizados, 52% demoraram entre quatro e seis dias para ficarem prontos. Um quarto dos testes foram realizados em dois ou três dias. 

De acordo com os dados da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO), os sintomas mais comuns dos infectados confirmados pela doença em Goiás são tosse e febre, sentidos por mais da metade dos infectados. Em seguida vem dor de cabeça, sentido por 36,9% dos pacientes, coriza (35,4%) e dor de garganta (30,8%). Falta de ar, sintoma que é considerado um sinal de alerta da doença, foi sentido por 23,1% do infectados de Goiás.

A maior parte das pessoas com Covid-19 confirmado no Estado, 86%, não possui outras doenças consideradas de risco. Em 10,8% dos casos o paciente tem doença cardiovascular e hipertensão.
 
Alerta
Assim como em âmbito nacional, os casos notificados de síndrome respiratória aguda grave (Srag) têm aumentado em Goiás. Segundo gráfico apresentado em reunião do Centro de Operações de Emergência (COE) nesta quarta-feira, os casos começaram a aumentar acima da média a partir da 10ª semana epidemiológica, que corresponde ao período entre 1º de março e 7 de março. Neste intervalo foram cerca de 30 notificações.

Antes disso, de acordo com o gráfico, eram notificados menos de 20 casos por semana. Na 12ª semana epidemiológica, entre os dias 15 e 21 de março, foram notificados mais de 70 casos de Srag. Apesar de não ser confirmado como novo coronavírus, o aumento destas notificações é um indício monitorado por epidemiologistas.

Recuperação
O primeiro paciente do Hospital de Campanha Para o Enfrentamento ao Coronavírus (HCamp), em Goiânia, recebeu alta e, enquanto aguardava o transporte que o levaria de volta para Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, onde reside, gravou um vídeo. Na filmagem, Paulo Alves de Souza, de 72 anos, conversa tranquilamente com uma profissional da unidade. Ao ser questionado sobre qual mensagem deixaria ele pediu a todos que “cuidem-se”. Ele já foi embora.