Após a confirmação da primeira morte em Goiás pela Covid-19 em Luziânia, no entorno do Distrito Federal (DF), o secretário municipal de saúde da cidade, José Walter Marques Faria gravou um vídeo onde se solidariza com a família. Na gravação, ele também afirma que afastou “todos aqueles que inadvertidamente tiveram contatos com a paciente” e que a prefeitura está recolhendo informações adicionais sobre outros procedimentos e contatos para que seja feito bloqueio epidemiológico. 

A primeira morte, registrada nesta quinta-feira (26) é de uma mulher, de 66 anos, hipertensa, com diabetes, doença pulmonar obstrutiva construtiva e que, recentemente, teve dengue. A paciente, que morava em Luziânia, tem histórico de viagem ao Distrito Federal (DF) recente e chegou a ser atendida em um hospital particular da cidade, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Ingá e havia sido transferida, em estado grave, para o Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia. 

Conforme relatório médico expedido pela UPA do Jardim Ingá na madrugada do dia 24 de março, a Vigilância Epidemiológica excluiu a paciente da coleta de exames para o novo coronavírus. A justificativa é de que o caso estaria fora do decreto federal de transmissão comunitária. Depois disso, a chefia da unidade entrou novamente em contato com a vigilância e o pedido foi de que a mulher fosse mantida em isolamento. A coleta seria feita “assim que possível”. 

Contradizendo as informações do laudo médico que foi emitido no último dia 24 de março a respeito do atendimento à paciente, o secretário afirma que a coleta para o exame foi feita em tempo rápido. “A Secretaria Municipal de Saúde tomou todas as providências nesse atendimento. Infelizmente, devido à gravidade, o desfecho foi desfavorável e a gente lamenta muito”, disse. 

Apoio e bloqueio

No vídeo, o secretário diz que a pasta e a prefeitura, de uma forma geral estão à disposição da família e que todas as providências foram tomadas no sentido de bloquear e testar os contactantes mais diretos que apresentem sintomas de gripe. Ele também diz que outros quatro exames haviam sido feitos no município para a doença, mas que apenas este apresentou resultado positivo. 

“Com imenso pesar noticiamos o falecimento dessa senhora de 66 anos que já tinha outras patologias como hipertensão e problemas respiratórios crônicos. Foram feitas todas as medidas, ela foi entubada no nosso município e ela foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia e lá ela faleceu”, completou.