Coordenador de Engenharia e Segurança do Trabalho do Sesi-GO, Alessandro Marques Martins diz que não pode falar sobre o caso de ontem por não conhecer a empresa e a situação em que o acidente ocorreu, mas aponta que entre 60% a 70% das ocorrências são por quebra de procedimento de segurança, seja falta de bloqueio da máquina ou falta de treinamento. “Geralmente é pela pessoa n...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários