Promotores que compõem a força-tarefa do Ministério Público de Goiás (MP-GO) para investigar as acusações contra o médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, foram proibidos de praticar atos que possam caracterizar invasão de competência do Poder Judiciário. A decisão é da juíza Rosângela Rodrigues Santos, da Comarca de Abadiânia, proferida no último d...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários