O Brasil teve a chance de vencer uma potência do handebol e fazer história. Caiu novamente. Ontem, em Doha, perdeu para a Croácia (26 a 25) e está eliminado do Mundial do Catar. Novamente por um gol, assim como no Mundial passado, em 2013, contra a Rússia, o Brasil deixou a competição na mesma fase. A partida, em Doha, valia a classificação inédita para a seleção brasileira às quartas de final. Nunca um time da América do Sul ficou entre os oito melhores do mundo. O Brasil esteve muito perto de um feito épico. Fez jogo equilibrado e esteve vencendo, em diversos momentos, a equipe campeã do mundo em 2009, três vezes prata e bronze no último Mundial. A Croácia continua invicta no Catar e, agora, enfrenta o vencedor do jogo entre Suécia e Polônia. Campeões olímpicos em Atlanta (1996) e Atenas (2004), terceiros colocados nos Jogos de Londres (2012), os croatas ainda tinham o melhor jogador do mundo de 2013 em quadra: o central Duvnjak, de 26 anos. Mas, o artilheiro do jogo foi o armador Marko Kopljar, de 2,10 m.