*Atualizada às 18h43

O novo decreto municipal sobre o escalonamento do horário de abertura de estabelecimentos de comércios, indústrias e serviços em Goiânia será publicado na noite desta segunda-feira (18) tornando-o obrigatório. Além disso, os horários serão fixos e determinados, deixando de ser apenas 5 para 10 no total. A cada meia hora uma nova leva de segmentos terá as atividades iniciadas, entre 6 horas e 11h30. A intenção do Paço Municipal é reduzir a concentração de usuários do transporte coletivo em terminais, plataformas e pontos de ônibus no pico da manhã.

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) estima que o escalonamento possa reduzir em até 20% a quantidade de usuários por hora para embarque e desembarque, evitando as aglomerações e reforçando os cuidados para conter a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). No decreto em funcionamento até então o escalonamento é apenas uma recomendação e pensado em apenas cinco horários diferenciados. Uma mudança também é que as empresas deixam de abrir a partir do horário estipulado e passam a ter a obrigação de abrir apenas naquele período. Ou seja, padarias e supermercados, por exemplo, não poderão abrir a qualquer momento a partir das 6 horas. A determinação agora é que abram às 6 horas ou ficam proibidos de funcionar.

Outra mudança significativa é em relação às pessoas que atuam como empregadas domésticas, diaristas ou com manutenção predial. Estas terão de iniciar os trabalhos em um dos três horários estipulados: às 6h30, às 8h30 ou após 10h30. Também foi retirada do decreto a abertura de qualquer atividade às 8 horas, que é o horário padrão de funcionamento dos segmentos em geral. 

As casas lotéricas e bancos também não entram mais no escalonamento, que funcionarão em seus horários tradicionais, já que seguem determinações federais. O escalonamento também não funcionará aos sábados, domingos e feriados. Por outro lado, nos dias comuns, já que agora é uma obrigação, as empresas infratoras poderão sofrer penalidades, como multas ou até mesmo a interdição.

Confira como serão os horários:

6h:
- Laboratórios de análises clínicas e de vacinação
- Postos de combustíveis
- Supermercados, mercearias, empórios e hortifrutigranjeiros
- Padarias e panificadoras
- Drogarias

6h30:
- Indústrias de insumos/produtos essenciais à saúde humana ou animal (medicamentos, materiais hospitalares, alimentos, higiene e limpeza, gás e combustíveis)

7h:
- Oficinas mecânicas, autopeças e borracharias
- Obras de construção civil

7h30:
- Indústrias de insumos para construção civil
- Indústrias de extração mineral

8h30:
- Oficinas mecânicas ao setor agropecuário
- Lojas de insumos agropecuários e veterinários

9h:
- Farmácias de manipulação
- Lojas de produtos e peças ao setor agropecuário
- Vistoria veicular
- Serviços de internet

- Distribuidoras e revendedoras de água e de gás

 

9h30:
- Lojas de máquinas e implementos agropecuários
- Depósito de materiais para construção, ferragistas, elétricos/hidráulicos
- Locação de máquinas/equipamentos para construção civil
- Lojas de pneus
- Estabelecimentos de atividades não citadas (autorizadas a funcionar, mas não a abrir)

10h:
- Óticas
- Petshops
- Cartórios extrajudiciais
- E-commerces
- Concessionárias de veículos

11h:
- Lavajatos
- Salões de beleza
- Barbearias
- Lavanderias
- Desinsetização e controle de pragas

Após 11h30:
- Consultórios médicos, psquiatria ou psicologia
- Consultórios odontológicos
- Escritórios de profissionais liberais