Dificuldades para regular pacientes, prestação de atendimento improvisado, pacientes internados em corredores de hospitais, aumento exorbitante de gastos como medicações e oxigênio e crescimento do número de mortos. Essa foi a realidade de grande parte dos municípios goianos durante o mês de março deste ano, o pior desde a chegada da pandemia do coronavírus no Estado. ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários