Mistérios cercam o ato de “vandalismo” que apagou uma das mais importantes obras do italiano Frei Nazareno Confaloni no prédio construído nos anos 1950 no Setor Oeste para abrigar a sede da Centrais Elétricas de Goiás (Celg). O alarme foi dado após uma visita de acadêmicos de arquitetura ao local levados pelo professor Ruy Rocha Filho, da Pontifícia Universidade Católic...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários