Postos de combustíveis foram alvo de uma operação deflagrada na última quinta-feira (8) pela Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), em parceria com a Polícia Militar de Goiás, Procon Goiás e Agência Nacional de Petróleo (ANP). Oito estabelecimentos da capital e quatro em Anápolis foram fiscalizados pela força-tarefa que investiga irregularidades na venda de combustível ao consumidor final em Goiás.

A operação ‘Petróleo Real’ verificou a regularidade dos postos quanto à qualidade e quantidade dos combustíveis, bem como o dever de informação clara ostensiva e precisa no que se refere aos preços dos combustíveis. Na ação, foram lavrados dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) por prática dos crimes de publicidade enganosa e falsa informação sobre o preço do produto. Dois gerentes de postos foram conduzidos à Decon e os proprietários intimados a comparecer na delegacia nos próximos dias.

Mais três autuações foram realizadas nos mesmos estabelecimentos pelo Procon em razão de infrações administrativas. A ANP inspecionou aproximadamente 90 bicos e 50 testes de qualidade de combustíveis, resultando em duas autuações por falta de equipamentos para análise e uma interdição de bomba de combustível por inadequação de funcionamento. A Decon informou que as ações integradas terão continuidade no Estado, a fim de garantir a aplicação da lei em defesa dos consumidores.