Papéis sujos, jornais, esponjas, panos e até mesmo miolo de pão. Estas são algumas das estratégias que cerca de 130 mil goianas, segundo o governo estadual, e mais de 4 milhões de meninas brasileiras, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que não têm acesso a absorventes adotam para enfrentar o período menstrual. Em todo o País, a pobreza menst...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários