Novas regras com limitações de atividades durante a temporada do Araguaia foram publicadas em decreto nesta quarta-feira (2). Alvo de discussões recentes de cancelamento, a pesca esportiva foi liberada, mas a prática não poderá ocorrer em regiões que se encontram em situação de calamidade, como indicado pelo mapa de risco da Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO).

Com um cenário ainda preocupante e sem expectativa de melhora para as próximas semanas, principalmente em função da escalada de contaminações, aumento de mortes e de internações de pacientes em estado grave em função da Covid-19 em Goiás, atualmente apenas a região Norte, das quatro que englobam os principais pontos turísticos do Araguaia, se encontra em situação mais favorável e poderá receber a prática esportiva.

Um dos pontos mais procurados pelos turistas, Aruanã não poderá receber atividades já neste feriado de Corpus Christi, fato comemorado pelo prefeito Hermano de Carvalho. “Em datas como essa tivemos milhares de turistas, como no carnaval durante a pandemia. Mas quando eles foram embora os problemas ficaram, porque tivemos muitos casos de contaminações depois das aglomerações registradas. Em outros feriados, quando estava fechado, tivemos cenário totalmente diferente. Vamos focar na fiscalização nos próximos dias para evitar piora”, afirmou. “Estamos com uma situação de risco, então sou favorável às limitações. As pessoas têm que ter paciência. O Araguaia não vai sair daqui”, complementou o prefeito.

O decreto determina ainda ocupação das embarcações no máximo na metade da capacidade. Além disso, todos os ocupantes devem portar testes negativos para Covid-19 nos últimos sete dias e também a licença de pesca esportiva emitida pelo Estado.

Já a pesca de subsistência, realizada por ribeirinhos e comunidades indígenas, por exemplo, estão permitidas.

Regras rígidas para acampamentos

Nesta temporada, conforme o decreto, não poderão ser realizados acampamentos para passar a noite, inclusive para familiares. E às margens do rio serão permitidas somente até quatro pessoas por grupo.

Eventos de qualquer tipo que causem aglomeração, incluindo até mesmo caminhadas ecológicas, passeios ciclísticos e campeonatos de esportes aquáticos estão proibidos.

Quem for flagrado pela fiscalização descumprindo as regras será multado. Os valores variam entre R$ 1.000 e R$ 500.000.

Confira o decreto na íntegra: