Sem nenhum tipo de vigilância, com muro baixo e portas abertas durante todo o dia, o Cemitério Santana, no Setor dos Funcionários, em Goiânia, se tornou um alvo para o furto de peças de bronze. Em um dos casos ocorridos neste ano, uma estátua de 1,5 metros, de mais de 60 quilos, foi levada do jazido onde estão enterradas seis pessoas da família do empresário Antônio César M...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários