A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia pretende publicar até esta sexta-feira (19) um edital de credenciamento de leitos para tratamento contra Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desde o começo da semana, a rede municipal enfrenta problema de lotação nos três hospitais que fornecem vagas de UTI para casos confirmados ou suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Os detalhes sobre como funcionará este credenciamento serão divulgados assim que o edital for publicado, informou a prefeitura.

Na manhã desta quinta-feira (18), a taxa de ocupação dos leitos de UTI disponíveis na rede municipal estava em 92%. Isso porque na noite anterior, o Gastro Salustiano Hospital ampliou os leitos de UTI conveniados com o SUS de 10 para 16 e mais um deve estar disponível nas próximas horas, já que a prefeitura informa que são 7 os leitos novos.

Ao todo, agora a rede municipal conta com até 67 leitos de UTI disponíveis. O número varia porque no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás (HC/UFG) a capacidade vai de 4 a 10 pacientes, dependendo do perfil deles, se a infecção já foi confirmada ou não. Atualmente o HC oferece 8 leitos, todos ocupados. O Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara (HMMCC), que oferece 40 vagas de UTI, segue lotado desde segunda-feira (15).

A SMS também espera nos próximos dias a liberação de 10 leitos de UTI pela Santa Casa de Misericórdia de Goiânia, que corre atrás da contratação de equipe de profissionais para atuar na UTI. Essa busca também ocorre no HC e no HMMCC, que podem ampliar em mais 18 vagas para casos críticos se conseguirem encontrar interessados no trabalho.

O edital de credenciamento é uma forma de a secretaria ampliar de forma mais urgente a oferta de leitos de UTI, já que o número de pessoas precisando de internação tem aumentado. Desde o começo do mês, a SMS já havia conseguido ampliar em mais 20 leitos de UTI a capacidade na rede municipal (10 no HMMCC e 10 no Salustiano), mas todos foram preenchidos em menos de duas semanas. 

Conforme O POPULAR apurou, a pasta tem encontrado dificuldade em achar leitos na rede particular pelo fato de as unidades hospitalares já estarem pactuadas com planos de saúde.

A situação dos leitos de enfermaria é um pouco mais tranquila. Atualmente são ofertados 91 vagas e a taxa de ocupação gira em torno de 80%. A expectativa da SMS é que nos próximos 7 dias passe de 200 leitos ofertados pela rede municipal (somando enfermaria e UTI, que hoje está em 155).