Pais de alunos matriculados em colégios militares da rede estadual em quatro cidades relatam dificuldade para realizar a rematrícula dos filhos para o próximo ano por atraso no pagamento do que deveria ser contribuição voluntária e pressão por parte das unidades para que estes valores sejam quitados. Os relatos ouvidos pela reportagem são em Itapuranga, Palmeiras de Go...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários