O médico Leandro Boldrini, pai do menino Bernardo, e a enfermeira Graciele Ugulini, madrasta do garoto, foram condenados a mais de 30 anos de prisão cada pela morte da criança, ocorrida em abril de 2014, quando ele tinha apenas 11 anos. Também foram considerados culpados uma amiga de Graciele, Edelvânia Wirganovicz, e o irmão dela, Evandro Wirganovicz, que t...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários