A investigação do padre Iran Rodrigo Souza de Oliveira, de 45 anos, conduzida pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) constatou que houve conjunção carnal entre ele e uma das vítimas. Para a promotoria, isso demonstra que, ao contrário do que era alegado pelo religioso, os toques tinham intenção sexual. Esse ponto foi ressaltado nas denúncias oferecidas cont...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários