A investigação do padre Iran Rodrigo Souza de Oliveira, de 45 anos, conduzida pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) constatou que houve conjunção carnal entre ele e uma das vítimas. Para a promotoria, isso demonstra que, ao contrário do que era alegado pelo religioso, os toques tinham intenção sexual. Esse ponto foi ressaltado nas denúncias oferecidas cont...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários